Originária do sul do México.
Quando os espanhóis conquistaram o México, os astecas já aro matizavam o seu "xoco-late" (chocolate quente) com baunilha, prática que o Oriente copiou desde então.

Foram os astecas que desenvolveram a técnica de curar as favas, fazendo-as fermentar e secar repetidas vezes para obter a vanilina branca cristalizada, sem a qual as favas não têm sabor. As melhores favas são flexíveis, mas resistentes, de cor castanho-escura e cobertas por uma camada de cristais aromáticos. Por ser uma especiaria bastante cara, há uma quantidade enorme de imitações em forma líquida no mercado, muitas delas de origem química. A melhor baunilha vem do México. Também é cultivada em Madagascar, Américas do Sul e Central, Porto Rico e outras áreas com clima adequado.


Vagem de uma orquídea trepadeira que pode atingir até 30 metros de comprimento, a baunilha tem caule cilíndrico, verde, com raízes que surgem ao nível dos nós, para apoio em outros vegetais ou suportes. Suas folhas são de textura rígida e formato ovalado e suas flores, típicas das orquídeas, são formadas por seis partes.

Nos lugares onde cresce, o ar fica ricamente perfumado. Seu nome vem do espanhol vainilla, que significa "pequena vagem". Como toda flor, necessita ser polinizada por um inseto, e no caso da baunilha, apenas um inseto encontrado no México é capaz de tal proeza. Dessa maneira, em todos os outros lugares onde é cultivada, deve ser polimerizada artificialmente.

Usos
As melhores favas são as cheias e tenras. Evite as que estiverem quebradiças e secas. É comum colocar uma fava no açucareiro para aromatizar o açúcar.

Vai bem no chocolate, no café, em pudins, em sobremesas de fruta e, em pequenas quantidades, em pratos com vitela.

VENDO ESTE SITE POR R$ 5,000,00 COM 1 ANO DE HOSPEDAGEM GRATUITA

Interessados falar com  Carlos (17) 3521 2829 ou 981 069 762 (tim)